Home A Paintugal Associa-te Núcleos Parceiros Galeria Censos Notícias INSCRIÇÕES  
alt text

Autor Tópico: Rei Artur - A Lenda - 01/05/05 - História  (Lida 2848 vezes)

Offline PAINTUGAL

  • Global Moderator
  • Se rastejares como falas...
  • *****
  • Mensagens: 685
  • Karma: +9/-0
Rei Artur - A Lenda - 01/05/05 - História
« em: Abril 14, 2005, 07:04:42 pm »
REI ARTUR A LENDA…



Num castelo sombrio construído sobre um promontório rochoso que avança mar adentro, Igrayne aguarda o regresso do marido, Gorlois, Duque da Cornualha. Não é ele porém, quem entra nessa noite no seu quarto, mas sim Uther Pendragon, Rei dos Bretões – a quem o mágico Merlin deu a aparência de Gorlois, a fim de satisfazer a paixão ilícita do rei por Igrayne. É concebido um filho. E assim começa a história do lendário Rei Artur.

Merlin apodera-se do filho de Igrayne e entrega-o ao bom Sir Ector para que o eduque como seu filho. Embora o rei não tenha mais filhos, Igrayene e Gorlois são abençoados com três filhas – duas das quais casam com outros reis, enquanto a terceira é mandada para um convento. Esta filha, Morgana Le Fay, adquire a dada altura faculdades mágicas e acaba por desempenhar um papel fatal na vida do seu meio-irmão.

Só quando o rei morre e Artur completa 16 anos, Merlin lhe revela a sua verdadeira paternidade, e mesmo assim unicamente depois de o jovem conseguir arrancar uma espada embebida numa bigorna encravada numa laje de mármore de um cemitério. Todos os que tinham tentado haviam falhado a prova, que “só o verdadeiramente nascido rei de toda a Bretanha” passaria. Merlin conta-lhe também o encantamento lançado sobre ele pelas fadas de Avalon, a terra do mistério. Artur será o melhor de todos os cavaleiros e viverá “uma vida mais longa do que qualquer homem jamais conhecerá”. Enquanto o povo ajoelha a preitear o seu novo soberano, o arcebispo coloca-lhe a coroa na cabeça.

Sob o benévolo domínio de Artur, a Bretanha goza de 12 anos de paz, época em que se assiste ao grande florescimento da cavalaria. Artur chama ao seu Castelo de Camelot os cavaleiros corajosos e fieis ao seu reino – Lancelot, Gawair, Percival e muitos outros – e senta-os em redor de uma enorme mesa, ou távola redonda, tendo cada um dos seus nomes gravados a ouro na sua cadeira. Os que ali se sentam são ensinados por Merlin a evitar o crime, a crueldade e a maldade, a fugir da traição, da mentira e da desonestidade, a fazer mercê aos que a pedem e, acima de tudo, a respeitar e a proteger as mulheres. De Camelot, os cavaleiros partem a combater dragões, gigantes e anões astuciosos; os seus encontros com as forças do mal ocorrem habitualmente em castelos assombrados, florestas obscuras e jardins encantados. Orgulhosos dos seus feitos, regressam então ao castelo para contar na corte as suas histórias.

Artur traz também para Camelot a linda Guinevere, para ser sua rainha. Mas Lancelot é incapaz de resistir à sua paixão pecaminosa e por Guinevere, e Mordred, sobrinho de Artur e filho de Morgana Le Fay, denuncia os amantes e força Artur a condenar a mulher a ser queimada em publico. Lancelot salva a rainha e foge com ela para França. Antes de lançar o seu exército em perseguição dos dois, Artur entrega o seu reino a Mordred, que se aproveita da ausência do rei para executar um golpe de estado. Ao regressar a Inglaterra, Artur enfrenta Mordred numa batalha e atravessa-lhe o corpo com a sua lança, mas, antes de morrer, Mordred fere mortalmente o rei.

Os fiéis apoiantes de Artur colocam o rei moribundo num barco, que desliza através de uma bruma branca, pelo mar até Avalon. “Consolai-vos”, grita Artur para os seus desolados cavaleiros na praia. “Ficai seguros de que voltarei quando a terra da Bretanha precisar de mim”.
Paintugal - Associação Portuguesa de Paintball Recreativo - APD
Por publicação em D.R. 01/2006 III Série - Apartado 2003 EC Figueira da Foz 3081-901 Figueira da Foz

 

alt text